Sábado, 12 de Abril de 2008

(Agora no Jazz) não há Festa como esta!

 

Passados alguns afazeres inadiáveis, impõe-se não protelar mais a crónica que se segue, sobre a realização da última Festa do Jazz  – a sexta, realizada nos passados dias 5 e 6 de Abril, no São Luiz de Lisboa –, começanco por confessar uma curiosa sensação de clara incapacide em lançar mãos à obra, desde logo com esta ideia:  a de que será impossível reflectir, no singelo texto que agora passo a escrito, a dimensão de um evento tão importante para o jazz português e para a compreensão da notável evolução e do estado
actual deste domínio musical entre nós.
 
E o estranho é que, sendo esta se bem me lembro a primeira vez em que (finalmente!)  tenho liberdade e espaço disponível para o fazer  – desobrigado que estou de outros constrangimentos que, em termos logísticos e porventura éticos, me impediam de escrever sobre edições anteriores desta Festa –, o facto é que os condicionalismos de uma tal empresa se revelaram, de uma outra maneira, de certo modo inibidores, pela impossibilidade de tudo cobrir exaustivamente e pela multiplicidade e simultaneidade de eventos que, no interior da Festa, ocorreram naquele fim de semana.
 
 
                                                                                                                       Independentemente da quantidade e qualidade dos vários músicos e grupos profissionais que animaram ao fim de tarde e à noite os vários palcos, é indispensável sublinhar que a vertente talvez mais importante da Festa do Jazz foi, somo sempre, a apresentação das formações instrumentais que as várias escolas de jazz resolveram trazer até ao belíssimo Jardim de Inverno do S. Luiz e de que aqui se dá conta neste slideshow meramente ilustrativo, no qual se sucedem  (por ordem de entrada em cena e sem carácter exaustivo)  alguns dos grupos e solistas mais em destaque, entre aqueles que o escriba teve a oportunidade de ouvir.

No que ao jazz particularmente se refere, essa apresentação das várias escolas transmite um sinal claro da inequívoca e crescente evolução positiva do trabalho docente nelas realizado, também ao nível de uma muito maior responsabilidade na escolha dos alunos e na elaboração dos repertórios  (nalguns casos originais), cada vez mais se atenuando as situações de manifesta desadequação de uns e de outros a uma representação honrosa, credível e sobretudo não frustrante para os próprios participantes.
 
Entretanto, mais importante ainda, também aqui se reflecte, mesmo que de uma forma indirecta, essa outra realidade em geral ignorada pelos grandes media:  a positiva e paulatina descentralização do ensino da música realizada ao longo das últimas décadas  (findo o obscurantismo cultural fomentado e alimentado pelos longos anos da ditadura)  e a formação, daí decorrente, de agrupamentos de dimensão muito diversa e cuja saudável prática musical se não coíbe até, nalguns casos, de realizar cruzamentos transversais entre géneros musicais, assim se esbatendo democraticamente as artificiais fronteiras entre eles.
 
Mesmo não embandeirando em arco e sem esconder que nem tudo correrá bem nesta vertente do ensino musical do jazz, se esta é uma realidade positiva que se pretende vá sendo aperfeiçoada com exigente esforço e qualificação, não admira que a sua resultante mais evidente  – a actual multiplicação de grupos e solistas de crescente competência e afirmação profissional –  tenha sido a outra notória e inquestionável componente desta . Festa do Jazz.
 
Daí que, também neste caso, seja oportuno incluir  (mais uma vez por ordem de entrada em cena)  uma galeria de retratos que dão conta dos grupos ouvidos por este repórter e dos quais alguns nomes de peso estão ausentes  (em relação ao último concerto), pela circunstância de… o rolo ter acabado… que o mesmo é dizer, na terminologia actual, ter -se esgotado a capacidade do cartão de memória da máquina digital, o que certamente se desculpará num impreparado amador como este.

 
 
Depois do que atrás vos disse, julgo que seria inteiramente desadequado sublinhar aqui  (ou debruçar-me em particular)  sobre as virtudes de tal ou tal concerto a que pude assistir, preferindo sublinhar o companheirismo entre músicos de diversas tendências, a considerável diversidade estética de várias experiências ouvidas em palco  – o que demonstra, também, a ausência de sectarismo na organização da Festa –  e, em geral, a segurança, o à-vontade, a criatividade e o brilhantismo dos muitos protagonistas envolvidos, assim se comprovando que  (em termos proporcionais)  a cena do jazz português se pode bater com outras cenas do jazz europeu.
 
Permita-se-me, apesar de tudo, a referência  (até simbólica do que afirmo)  a um concerto particularmente surpreendente e de qualidade irrefutável. Se, na Festa do ano passado, foi com sensação semelhante que saí do impressionante concerto pelo novo quarteto de André Fernandes, desta vez foi o poder convincente e contagiante da impagável Low Budget Research Kitchen (LBRK) - Shut Up and Play Your Instruments, que me deixou estupefacto e arrasado, face a um tão surreal quanto sério e laborioso trabalho de colagem, (re)constituição e mesmo
(re)interpretação e compreensão da música de Frank Zappa, tudo isto com esse ar de divertimento e de gozo tão próprios do jazz. (1) Chapeau!
 
Por último, uma menção honrosa especial tem de ir para um trio desde sempre indispensável ao êxito desta Festa  – Carlos Martins, Luís Hilário, Jorge Salavisa –  aos quais é da maior justiça juntar essa anónima equipa de apoio, sempre atenta e competente no encaminhamento de participantes e espectadores, nos contactos com a comunicação social, na gestão das salas ou na amplificação sonora e iluminação dos vários palcos.
Um trabalho à primeira vista… invisível… e que correu sobre rodas.
___________________________
 
Prémios atribuídos pelo Júri
(José Menezes, Leonel Santos, Paulo Gil)
 
- Melhor combo: Septeto da ESMAE (Porto)
- Melhor instrumentista: Graciano Caldeira, guitarra (Conservatório Escola das Artes da Madeira)
 
Prémios de reconhecimento
 
- Octeto da Escola JBJazz, de Lisboa (combo)
- Iuri Gaspar  (piano)  da Escola de Jazz do Barreiro
- André Carvalho  (contrabaixo)  da Academia de Amadores de Música e da Escola de Jazz Luiz Villas-Boas do HCP
- Miguel Moreira  (bateria)  da Escola de Jazz Luiz Villas-Boas do HCP
- João Capinha  (sax-alto)  da Academia Municipal das Artes da Nazaré
- Teresa Macedo  (voz)  da Academia de Amadores de Música
                                               

                                                                                                                                   Em tempo:
 
Não obstante tudo o que de positivo e emulador encerra a apresentação das escolas de jazz portuguesas nesta Festa, julgo  (até por experiência própria)  que duas observações se impõem e me permito adiantar a este propósito: ou se transforma esta sempre bem-vinda apresentação numa pura e simples amostragem do que se vai fazendo ao longo do ano nas várias escolas em presença; ou, a manter-se a vertente do concurso para os melhores combos e solistas, parece mais justo criar-se um regulamento (ou modificar-se o actual) no sentido de que os critérios objectivos do júri, face ao material humano e musical em presença, se destinem a apreciar e julgar alunos e escolas claramente divididas por diferentes graus de ensino, desde a iniciação, passando pelo secundário e chegando ao superior.
Sob pena de que as boas intenções acabem por ir parar ao Inferno… que bem cheio está delas!
_____________________________________________________________________________
                                                                                                                                                       (1) Actualização: um trabalho sólido e criativo que  (é necessário precisá-lo)  se fica a dever, em parte substancial, ao talento de António Torres Pinto. (14.04.08)

 
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 12:12
Link para este post

Área pessoal

Pesquisar neste blog

 

Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

(Agora no Jazz) não há Fe...

Arquivos

Outubro 2014

Maio 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Tags

achados no baú

achados no baú (14)

achados no baú (15)

achados no baú (16)

achados no baú (17)

achados no baú (18)

achados no baú (19)

achados no baú (20)

achados no baú (21)

achados no baú (22)

achados no baú (23)

achados no baú (24)

achados no baú (25)

animação

ante-estreias

ao vivo

àpartes

arquivos

artigos de fundo

balanços

blogs

boas festas

bónus de verão

cinema

clubes

colectâneas

concertos

concertos internacionais

concertos portugueses

cooncertos

dedicatórias

descobertas

desenhos

directo

discos

discos em destaque

discos estrangeiros

discos nacionais

distribuidoras

divulgação

documentos históricos

editoras

editoriais

editorial

efemérides

em directo

ensino

entrevistas

escolas

escutas

férias

festivais

fotografia

gravações ao vivo

grupos estrangeiros

história

história afro-americana

homenagens

hot clube

humor

internet

intervalos

jazz

jazz ao vivo

jazz no cinema

leituras

links

live stream

livros

mp3

música sinfónica

músicos

músicos estrangeiros

músicos internacionais

músicos portugueses

músicos residentes

músios estrangeiros

natal

novos discos

obras-primas

pavões

pessoas

podcasts

portugal

prémios

primeira audição

produtores

produtores estrangeiros

r.i.p.

rádio

recursos

reedições

televisão

um bónus de verão

um toque de jazz

video-clip

vídeos

village vanguard

visionamentos

visitas

todas as tags

Links

Subscrever feeds